Clínicas de Repouso para Idosos Dúvidas sobre!

Sabemos das dificuldades, principalmente emocionais, que norteiam a decisão de internar ou não um familiar idoso em uma clínica de repouso ou casa de repouso para idosos que necessita de cuidados especiais. Medos e duvidas se confundem, nos levando a questionar se a atitude a ser tomada será a mais correta para a qualidade de vida do idoso e seus familiares. A titulo de orientação básica, a equipe da Serena, responde as duvidas mais comuns que ocorrem entre os familiares. Os profissionais da SERENA, estão à disposição para o esclarecimento de dúvidas através de contato telefônico ou agendamento de visita.

casa-repouso-nova

A decisão de internar uma pessoa em uma clinica de repouso deve ser da família, do idoso caso ele tenha condições, ou em conjunto?

Preferencialmente, a decisão deve ser tomada em conjunto oferecendo ao idoso a possibilidade de escolher ou não ir para a clinica de repouso ou casa de repouso para terceira idade. Porem, em caso de impossibilidade devido a condições clínicas, cabe à família tomar a decisão.

Quais os níveis de dependência que normalmente requerem internação?

Aqueles que impedem o idoso desempenhar suas funções de forma independente e segura e quando seus familiares não tenham condições de proporcionar cuidados profissionais específicos.

Normalmente, um idoso com grave dependência será melhor cuidado em uma clínica de repouso ou em casa?

Sem duvida, em uma clínica de repouso, onde o idoso terá também uma clínica geriátrica a sua disposição, uma equipe médica e de cuidados especializados durante 24 horas, fator determinante para uma boa reabilitação.

Em relação aos custos, um idoso com grave dependência gera mais gastos sendo tratado em casa ou em clínicas de repouso?

Acreditamos que os custos serão maiores em casa, local que exige investimentos elevados com equipamentos, serviços especializados, cuidado integral, além de adaptação do ambiente, fato que pode significar uma grande reforma dependendo da necessidade do paciente. A maioria destes serviços está incluída na mensalidade das clínicas de repouso que também se encarregam dos cuidados da parte de hotelaria.

O idoso se sente mais seguro e amparado quando tratado em uma clínica de repouso ou em casa? Por quê?

Devido aos cuidados específicos que os idosos demandam, as clínicas de repouso ou casa de repouso especializadas são as melhores opções de cuidado, oferecendo um ambiente profissional, humanizado e acolhedor que proporciona ao paciente uma maior sensação de segurança e bem estar.

É difícil o processo de adaptação em uma clinica de repouso? É importante a presença periódica da família para uma melhor adaptação?

Isso varia de idoso para idoso. È comum um estranhamento inicial, porém nem sempre a presença constante dos familiares fará com que a adaptação seja suficientemente boa. De forma geral, um planejamento interdisciplinar é capaz de definir os cuidados iniciais mais adequados para o idoso.

O que a família pode fazer para contribuir para uma melhor adaptação do idoso?

É importante a família estar presente sem, no entanto, interferir no plano terapêutico e clinico traçado para o idoso.

Quais as dicas para a família escolher uma clínica de repouso idônea e confiável?

Obter informações quanto à regularização nos órgãos competentes, procurar referencias em relação à equipe médica responsável, observar a infra-estrutura disponível e capacidade de atendimento dos diversos níveis de cuidados e necessidades do idoso.

Quais as perguntas-chave que a família deve fazer ao visitar as clínicas de repouso?

Quais profissionais compõem a equipe médica?
Qual a rotina proposta ao idoso?
Quais as atividades oferecidas?
Como é realizada a avaliação clínica?
Em caso de emergências, qual suporte oferecido pela clínica?
Quais especialidades compõem o quadro técnico da clínica?
A clinica possui convênios com quais tipos de serviços? (remoção médica, com outros profissionais de saúde, cuidados especializados).

Durante as visitas para conhecer instalações, quais detalhes devem ser observados?

Os principais detalhes a serem observados são a limpeza e cuidados dos dormitórios onde os idosos residem, os ambientes de convívio coletivo, se possuem instalações que seguem normas de acessibilidade, a aparência dos residentes em relação aos cuidados pessoais, além dos procedimentos médicos e terapêuticos praticados.

As famílias devem conversar com internos e seus familiares para colher mais informações sobre a clínica de repouso?

Sem duvida, a conversa com internos e seus familiares é outra excelente opção para a obtenção de informações adicionais.

Quais as atividades/serviços básicos que toda clínica de repouso de qualidade deve oferecer?

Locais de transito pessoal e coletivo dotados de acessibilidade, uma rotina composta de atividades que visem o bem estar biopsicossocial dos idosos (atividades físicas, estimulação cognitiva, inserção social, lazer, etc), serviços para cuidado pessoais e de beleza (dentistas, manicure, podólogo, cabeleireiro, etc), cardápios e dietas elaborados por nutricionista adequados para diferentes necessidades e faixas etárias.

Qual a melhor maneira de saber se o idoso tem recebido bom tratamento na clínica de repouso onde esta internado?

A melhor forma de saber sobre o tratamento deste idoso é a participação familiar cotidiana, observando o estado físico e emocional e a aparência do paciente, além de procurar sempre orientação e informações sobre as condutas clínicas adotadas.

CASA – REPOUSO – IDOSO: Principais Caracteristicas

sala-idoso

Em função das mudanças sociais, as famílias atuais não contam mais com pessoas que passam os dias trabalhando em casa e que desta maneira teriam disponibilidade para acompanhar parentes idosos que exijam cuidados especiais. Uma casa de repouso deve ser organizada de forma a atender o idoso da melhor maneira possível, sem que ele pense que está em um hospital, mas sim em um clube de lazer. Uma maneira de se construir uma ideia é vivendo nas casas de repouso que servem como base de um projeto de VIDA DA TERCEIRA IDADE.

CASA – REPOUSO – IDOSO: Principais Características.
CASA – REPOUSO – IDOSO: Dão prioridade à vida particular, antes prioridade era o trabalho.
CASA – REPOUSO – IDOSO: Têm estilo de vida de jovens.
CASA – REPOUSO – IDOSO: Estilo de vida é qualidade mais importante que títulos, classe social ou hierarquias.
CASA – REPOUSO – IDOSO: Gostam de estar elegantes, não importam de pagar mais por um produto que valha pena.
CASA – REPOUSO – IDOSO: Imaginam-se e aparentam ser mais jovens do que na realidade são. São sempre atuantes.
CASA – REPOUSO – IDOSO: Comportam-se de acordo com suas próprias motivações.
CASA – REPOUSO – IDOSO: Se apegam às suas próprias concepções de valor. São sociáveis.
CASA – REPOUSO – IDOSO: São admiradas pelos mais jovens, que se imaginam como elas quando envelhecerem.
CASA – REPOUSO – IDOSO: Acompanhamento do idoso em todas as sua necessidades
CASA – REPOUSO – IDOSO: Intolerância à espera na satisfação do Imediatismo
CASA – REPOUSO – IDOSO: Higienização dos pacientes sempre que necessária.
CASA – REPOUSO – IDOSO: Infantilismo – Regressão – Compulsão – Angustia.
CASA – REPOUSO – IDOSO: Recuperação Hospitalar
CASA – REPOUSO – IDOSO: Sistema de entretenimento (Filmes, TV, jogos, passeios,etc.
CASA – REPOUSO – IDOSO: Baixa Autoestima
CASA – REPOUSO – IDOSO: Tratamento – Depressão
CASA – REPOUSO – IDOSO: Mal de Alzheimer – A.V.C – PARKINSON – DIABÉTICOS – DEMÊNCIA – ARTROSE.
CASA – REPOUSO – IDOSO: Frustração
CASA – REPOUSO – IDOSO: Imaturidade emocional

CASA – REPOUSO – IDOSO: Atendimento médico. (Clínico Geral)
CASA – REPOUSO – IDOSO: Obsessão
CASA – REPOUSO – IDOSO: Alimentação adequada
CASA – REPOUSO – IDOSO: Atendimento fisioterápico
CASA – REPOUSO – IDOSO: Atendimento e acompanhamento de enfermeira padrão
CASA – REPOUSO – IDOSO: Atendimento -Psiquiátrico- psicológico – As.Social.
CASA – REPOUSO – IDOSO: Invulnerabilidade
CASA – REPOUSO – IDOSO: Área Física
CASA – REPOUSO – IDOSO: Quarto – Sala – Banheiro – Ambiente – adaptados. ⇒

banheiro-idoso

Funcionamento:
A Casa de Repouso deve obrigar-se a prestar toda a assistência aos pacientes nas suas necessidades diárias através do trabalho das auxiliares de ação médica a quem compete as seguintes funções:

Higienização dos pacientes sempre que necessária.
. Distribuição e administração das refeições. Os pacientes têm direito a cinco refeições diárias, pequeno almoço, almoço, lanche, jantar e suplemento noturno, servidas no horário afixado, podendo ser servidas outras refeições ou dietas sempre que prescritas pelo médico.

. Distribuição e administração de medicamentos de acordo com a prescrição médica transcrita nas folhas individuais de terapêutica.

. A Casa de Repouso obriga-se a prestar assistência médica e de enfermagem diárias bem como a recorrer a assistência médica especializada sempre que necessária.

. Os equipamentos e acessórios médico – hospitalares disponíveis na casa de repouso deverão ter: fraldas, soros, cadeira de rodas, andarilhos, canadianas. Sugerimos, entretanto que A Casa de Repouso cobre um taxa na mensalidade caso seja necessário o transporte nas deslocações a consultas e tratamentos, e ainda, consultas médicas de urgência ou de outras especialidades e de fisioterapia de reabilitação. Sendo estes serviços debitados aos pacientes ou seus responsáveis, em separado.

. Sugerimos ainda que seja estipulado um procedimento para visitas, e podem receber as visitas que pretenderem, quer na sala destinada para esse efeito quer no seu quarto, desde que respeitando a privacidade e descanso dos restantes pacientes, de acordo com o horário de visitas afixado na Casa de Repouso ( das 14 H às 19 H) em todos os dias da semana, incluindo sábados, domingos e feriados.

⇒Uma casa de repouso deve oferecer:

quarto-idoso

. Recuperação Hospitalar.
. Atendimento e acompanhamento de enfermeira padrão sanitarista.
. Atendimento fisioterápico.
. Atendimento Psiquiátrico.
. Atendimento médico. ( Clínico Geral)
. Acompanhamento do idoso em todas as sua necessidades.
. Serviços de remoção(ambulância).
. Sistema de entreterimento (Filmes, TV, jogos, passeios, etc.)
. Fisioterapia em geriatria

Estes são os profissionais exigidos perante a lei para a instalação do estabelecimento.

Como tratar o cliente:
A idade e suas consequências não podem e não devem ser encaradas como uma doença que impossibilita o seu portador de viver, deve ser enfrentada com maturidade e naturalidade e cada caso deverá ser analisado de maneira única, pois todos tem características diferentes, e não deve-se padronizar, ou seja: a felicidade para um indivíduo, não é semelhante para outro, o segredo do sucesso é saber analisar cada ser como único com soluções únicas.

Casa de repouso: ser feliz é uma decisão

Ser feliz é uma decisão

quarto-idoso

Uma senhora de 92 anos, delicada, bem vestida, com o cabelo bem penteado e um semblante calmo, precisou se mudar para uma casa de repouso.

Seu marido havia falecido recentemente e a mudança se fez necessária, pois, ela era deficiente visual e não havia quem pudesse ampará-la em seu lar.

Uma neta dedicada a acompanhou.

Após algum tempo aguardando pacientemente na sala de espera, a enfermeira veio avisá-las que o quarto estava pronto.

Enquanto caminhavam, lentamente, até o elevador, a neta, que já havia vistoriado os aposentos, fez-lhe uma descrição visual de seu pequeno quarto, incluindo as flores na cortina da janela.

A senhora sorriu docemente e disse com entusiasmo:

– Eu adorei!

– Mas a senhora nem viu o quarto. Observou a enfermeira.

Ela não a deixou continuar e acrescentou:

– A felicidade é algo que você decide antes da hora. Se eu vou gostar do meu quarto ou não, não depende de como os móveis estão arranjados, e sim de como eu os arranjo em minha mente. E eu já me decidi gostar dele.

E continuou:

– É uma decisão que tomo a cada manhã quando acordo. Eu tenho uma escolha, posso passar o dia na cama remoendo as dificuldades que tenho com as partes de meu corpo que não funcionam há muito tempo, ou posso sair da cama e ser grata por mais esse dia. Cada dia é um presente, e meus olhos se abrem para o novo dia das memórias felizes que armazenei. A velhice é como uma conta no banco, minha filha, de onde você só retira o que colocou antes.

“Na juventude deve-se acumular o saber. Na velhice fazer uso dele”. – Jean-Jacques Rousseau

Casa de Repouso-Idoso Mogi Guaçu

clinica-serena-idoso
banheiro-idoso
sala-idoso
quarto-idoso

A casa de repouso Serena está Instalada na Chácara Alvorada – Rua Silvio Cesar de Marco nº 180 CEP:13849-626, Mogi Guaçu – Est.S/P e construída de acordo com as normas de Centro Regional de Segurança Social, para acolhimento e apoio Idoso.

Dispõe:quarto individuais e duplos com W/C privativo,rampas amplo espaço e jardins, sala de TV. e assistência medica e enfermagem permanente.

Seja Bem Vindo(A) Casa do Idoso Mogi Guaçu

Somos uma equipa multidisciplinar que coopera em prol do bem-estar bio-psicossocial do Idoso e da sua família.

Procuramos criar um ambiente acolhedor e familiar de forma a que estes anos sejam os mais felizes das vidas daqueles que tão importantes são nas nossas vidas.

Se não encontrar aqui a informação que procura, não hesite em contactar-nos. Vivo (19) 99605-2442 -Fixo (19) 3361-1119-Claro(19) 99120-5446

Casa do Idoso Serena

Se tem Idosos em Casa – Leia com atenção

sala-idoso

Como Prevenir Acidentes com Idosos

Conviver com idosos em casa, em geral, é um momento delicado na trajetória familiar. Nesta fase, surge um problema prático: garantir a segurança do idoso no local de residência.

Pequenas mudanças podem diminuir o risco de acidentes, tão comuns na terceira idade.

Bastam pequenas mudanças para a casa se tornar mais segura. E o que é melhor: sem a necessidade de gastos exagerados.

Numa casa de dois andares, por exemplo, basta mudar o quarto do idoso para o andar de baixo, diminuindo as subidas e descidas de escadas, evitando, assim, quedas e fadiga.

Veja aqui as mudanças que devem ser feitas em cada um dos ambientes da casa.

Geral
Quarto
Casa de Banho
Cozinha e Área de Serviço
Sala de Estar e Jantar

Geral
Troque o piso da casa, caso este seja feito de material escorregadio.
Coloque corrimões nos corredores e outros locais da casa por onde o idoso costuma transitar. O idoso sentir-se-á mais independente, se perceber que, mesmo com dificuldade para se movimentar, não precisar chamar alguém para ajudá-lo.
Ilumine bem todos os ambientes da casa. Verifique também se os interruptores são fáceis de serem acionados, caso contrário, troque-os. Deve facilitar a entrada e saída de todas as divisões da casa.
Caso a casa tenha escada, pinte os beirais dos degraus com cores berrantes, como laranja ou amarelo. Isso facilita o idoso na identificação da distância dos degraus.
Adapte a banheira; este é o local que deve receber o maior cuidado, pois é onde se costumam concentrar o maior número de acidentes com idosos. Coloque um tapete antiderrapante. Coloque também alguns suportes, do tipo corrimão.
Adapte a cama, caso seja necessário. A altura ideal é verificada quando o idoso está sentado na beira da cama e consegue colocar facilmente os dois pés no chão. Os cobertores ou colchas não devem ser muito compridos, pois o idoso pode se enrolar e/ou tropeçar ao levantar.
Fixe à parede mesas ou outros móveis que sejam muito usados como apoio. Assim evita-se que, quando usados, estes se desloquem e provoquem uma queda.
Adapte as cadeiras. Todas devem ter braços laterais de apoio e encosto.
Troque ou adapte os tapetes da casa que escorreguem por tapetes anti-derrapantes. Caso não seja possível adaptar nem trocar, o melhor é retirá-los.
Adapte as maçanetas, se necessário. Todas devem ser de fácil manuseio, e as portas não devem ficar trancadas.
Adapte os armários da cozinha para que sejam fáceis de serem abertos. De preferência, deixe os produtos muito usados nas prateleiras mais baixas.
Conserte todos os locais onde o piso estiver irregular, tanto dentro da casa, quanto no quintal e jardim.
Proteja as extremidades pontudas das mesas ou outros móveis para que não causem nenhum ferimento mais grave.
Remova os objetos que estejam espalhados pelo chão da casa e que não tenham necessidade de estar lá, principalmente se estiverem interrompendo a passagem.
Recolha os fios que estejam pela casa, como os do telefone, televisão e outros eletrodomésticos.
Providencie sapatos e chinelos anti-derrapantes.
Deixe disponível no quarto-de-banho apenas sabonete líquido. Assim evita-se que o sabonete caia, e o idoso precise se abaixar para apanhar.
Deixe sempre uma luz – de preferência a do corredor ou da casa-de-banho – acesa durante a noite. Desta maneira, o idoso estará mais seguro, se precisar levantar-se durante a noite para…
Deixe à mão do idoso uma lista com os telefones úteis para casos de emergência. A lista deve estar próxima ao telefone e bem identificada, com letras grandes. No caso de não estar em casa, se houver um acidente, o próprio idoso (dependendo do caso ou até outra pessoa) poderá encontrar os números de telefone com facilidade.
Uma das principais causas de acidentes domésticos com idosos é a fraqueza muscular. Ao contrário do que se pode imaginar, os exercícios depois dos 60 anos são recomendáveis. Deve-se procurar um médico e um fisioterapeuta para que, juntos, possam indicar o exercício mais adequado para o caso. Os exercícios ajudam a fortalecer a musculatura e dão mais segurança ao idoso.
Caso o idoso sofra um acidente, levante-o com calma e faça-o sentar até se recuperar e sentir-se bem para ficar em pé.
Ao escolher o quarto que o idoso irá ocupar, prefira um que tenha janela, boa ventilação e quarto-de-banho dentro ou muito próximo deste.
O idoso precisa de confiança. Caso ele já tenha caído, não o deixe desistir de passear ou se movimentar dentro da casa por medo de cair novamente. Dê apoio, quando ele sentir vontade de sair e passear e tente dar-lhe o máximo de liberdade.
Faça as adaptações necessárias dentro da casa, lembrando-se, entretanto, que o idoso deve sentir-se o mais independente possível. Nunca se lhe deve tolher a mobilidade.
Não use produtos de limpeza que deixem o piso escorregadio, como a cera, por exemplo.
Não deixe objetos que o idoso possa precisar usar em local de difícil acesso . Boa parte dos acidentes acontecem quando o idoso sobe a uma cadeira ou banco para tentar chegar a objetos colocados fora do seu alcance.

quarto-idoso

Cama
Larga, de preferência, com um só travesseiro; a altura deve ser igual a 0,45 m ou 0,50 m (incluindo o colchão) para que a pessoa possa apoiar os pés no chão quando sentada. Além disso, é importante que o móvel tenha cabeceira, para permitir que o usuário se recoste; que o colchão tenha densidade adequada ao peso do idoso e que o cobertor ou a colcha fique preso(a) ao pé da cama, para evitar a sensação de frio.

•Mesa de cabeceira

Fixada ao chão ou à parede para evitar que se desloque caso o idoso precise apoiar-se ao levantar. Um detalhe: suas bordas devem ser arredondadas e sua altura cerca de 0,10 m acima da cama.

•Roupeiro

Portas leves, cabideiro baixo, gavetas com travão de segurança nos deslizantes e prateleiras com alturas variáveis são fundamentais. Outros aspectos facilitadores são a instalação de luz interna – com acionamento ao abrir a porta -, e puxadores do tipo alça.
•Cadeira ou poltrona
São uma boa alternativa, já que podem ajudar na hora de calçar meias e sapatos.
Outras recomendações:

O sistema de abertura das janelas deve ser sempre para dentro ou de correr. As persianas são a melhor alternativa para a vedação.

Atenção: mantenha uma luz acesa, à noite; telefone e números de auxílio fáceis de acessar e uma lanterna na gaveta. Prefira interruptores próximos à cama, sistema de controle eletrônico, do tipo viva voz; sistema de ar condicionado ou de aquecimento elétrico. Quanto aos acessórios é preferível usar relógio digital com números grandes, suporte para copos de plástico ou metal, controle remoto para TV e abajur fixo na mesa de cabeceira ou na parede.

banheiro-idoso

Só é recomendada se também houver espaço para um “poliban”. Neste caso, deverá ser provida de barras de segurança e ter os comandos para fora ou à distância.
•Poliban
Piso e proteção antiderrapante; fecho com material firme e difícil de quebrar; sistemas de porta de correr ou utilização de cortina plástica; largura mínima de 0,80 m; desnível máximo de 1,5 cm em relação ao piso do quarto-de-banho; e assento fixo para banho (0,45 m de largura e 0,46 m de altura). Além disso, é aconselhável que o poliban tenha corrimão lateral, barras de apoio com alturas variáveis, chuveiro portátil, tapete externo de borracha com ventosas, porta-toalha bem próximo ao poliban (com altura média de 1,30 m), porta-objetos fixo e saboneteira para sabão líquido instalada à 1,20 m de altura do piso.

•Sanita
Altura entre 0,48 m e 0,50 m; descarga simples (caixa acoplada ou acionada por botão); barras de apoio posicionadas a 0,30 m acima do tampo da sanita.
•Bancada (Lavatório)
Altura entre 0,80 m e 0,85 m; torneiras de fácil manuseio (meia volta, alavanca, monocomando ou com célula fotoelétrica); distância de 0,50 m, no máximo, das torneiras à face frontal da bancada; Lavatório com ralo protetor; barras de apoio junto ao lavatório; tomadas e interruptores posicionados em área seca, entre 1,10m e 1,30m do piso; porta-toalhas próximo à bancada e com altura igual às tomadas; e sabonete líquido.

•Armários

Modelo com área livre para movimentação das pernas, no caso do uso de cadeira de rodas; um espelho frontal com iluminação e outro, de aumento; suporte de escovas, lâminas, tubos e remédios em material resistente; lanterna, caneta e lente de aumento para ler e marcar os remédios na gaveta ou porta-medicamentos; prateleiras internas em material com resistência adequada; e gavetas com travão de segurança.
Outras recomendações:

Paredes em alvenaria com resistência suficiente para a instalação de barras de segurança fixadas por buchas. Portas de acesso com 0,80 m e abertura para o lado de fora do ambiente. Espaço interno suficiente para duas pessoas circularem: isso facilita a ajuda, caso haja necessidade.

Atenção: evite prateleiras de vidro, superfícies cortantes, quinas vivas e aquecedores a gás dentro do quarto-de-banho. Mantenha sempre luz de emergência, luz noturna e intercomunicador.

Cozinha e Área de Serviço

Lava-louça e bancada
Altura média de 0,85 m a 0,90 m; torneiras de fácil manuseio (meia volta, alavanca ou monocomando); filtro protetor para evitar entupimentos; gavetas de fácil abertura, com trava de segurança e divisões para talheres e porta-facas; apoio para alimentos (largura mínima de 0,45 m) próximo aos equipamentos; e barras de apoio instaladas em locais firmes. Além disso, é importante que os armários inferiores tenham portas e área livre para movimentação das pernas (no caso do uso de cadeira de rodas); e que os objetos de uso frequente fiquem em locais de fácil acesso. Já os utensílios mais leves e pouco utilizados devem ser guardados nos armários superiores (instalados em altura adequada).

Fogão
Botões na parte da frente; controles que fecham automaticamente o gás quando a chama se apaga (tanto nas bocas, como no forno); botões e controles em cor contrastante, para facilitar a visualização de temperaturas e ajustes; acionamentos digitais com números grandes e, também, sinais auditivos. Fora estas recomendações, é fundamental que os equipamentos embutidos tenham os botões de controle posicionados em local de fácil acesso e que sejam usadas luvas térmicas e suportes para pegar utensílios quentes. Atenção: o aquecedor deve ficar fora da cozinha e a botija de gás do lado externo da casa.

Frigorífico e Arca Congeladora
Evitar colocar peso nas portas; opte por uma solução que possua prateleiras que permitam o acesso sem que seja necessário baixar ou levantar muito os braços.

Tanque e tábua de passar
Para serem utilizados com a pessoa na posição sentada, a altura adequada é de 0,75m. Já o ferro deve ter fio espiralado, com suporte fixo e controle automático de temperatura; as tomadas devem ser instaladas entre 1,00 m e 1,20 m; e o aquecedor a gás precisa, necessariamente, ficar em local próximo às aberturas para o exterior.
Um detalhe: este último deve ter controle de temperatura e acionamento de chama somente quando for acionada alguma torneira.

Outras recomendações:
É importante ter um carrinho móvel para levar utensílios da cozinha ou da área de serviço para outros ambientes. Prefira pratos e copos de plástico ou metal. Use cafeteira elétrica (ou bule de plástico) e garrafa térmica de metal.

Atenção: na cozinha, forno elétrico ou micro-ondas devem ser instalados em local de fácil acesso e permanecer desligados após o uso.
Mais um cuidado: evite escadas dobráveis tanto na cozinha, como na lavanderia.

sala-idoso

Sala de Estar e jantar

•Poltronas e sofás
Confortáveis, de preferência com braços, altura de assento em torno de 0,50 m e, principalmente, fáceis de sentar e levantar (profundidade adequada de 0,70 m a 0,80 m).
Detalhe: os assentos não devem ser muito macios – a densidade moderada é a mais indicada.

•Mesa de apoio
Próxima ao sofá e com altura média de 0,60 m, apoia o telefone e o abajur.
Importante: evite quinas vivas, vidros ou materiais cortantes.
•Estante
Com prateleiras e fixadas ao piso ou à parede. Evite objetos pesados e de vidro e prefira aparelhos de som ou TV com controle remoto.
•Mesa de jantar e cadeiras
Para a mesa são imprescindíveis bordas arredondadas e altura média de 0,75 m. Além disso, deve-se garantir um espaço livre ao seu redor para uma movimentação segura. Outros cuidados: prefira cadeiras sem braço e livre-se de tapetes sob a mesa.
•Rampas e escadas
Sempre que possível, construir rampas em vez de escadas, sem esquecer, no entanto, de manter a declividade máxima de 10%. No caso da casa já ter escadas, não deixe de usar corrimãos ao longo dos degraus com altura média de 0,80 m. Importante: fazer demarcações no início e no final da escada.
Outras recomendações:

Prefira cores contrastantes e diferentes texturas nas paredes e móveis.
Opte por iluminação uniforme, de preferência contínua (vários pontos), anti-ofuscante (lâmpadas leitosas, iluminação indireta) e três vezes mais forte que o normal.
Mantenha interruptores de luz em altura confortável (1,10 m ) nas entradas e saídas. Detalhe: os específicos para abajur devem ficar junto aos de luz.
Escolha luminárias que proporcionem fácil manutenção e substituição de lâmpadas.
Mantenha luz noturna nas circulações, opte por lâmpada de emergência ou lanterna em local de fácil acesso.
Deixe os ambientes livres de obstáculos, principalmente os objetos e móveis baixos.

Atenção: evite tapetes soltos, cortinas pesadas e fios elétricos e de telefone sem fixação. E não se esqueça: a personalização do ambiente com objetos, fotografias de familiares, datas significativas, viagens e elementos que tragam boas recordações são fundamentais para uma casa saudável.

Fonte:

Casa – Repouso – Idoso – Serena

Saiba como escolher uma casa de repouso para idosos!
Corrimão e piso antiderrapante são obrigatórios, segundo ANVISA?
Ambiente claro e limpo., e com boa acessibilidade também é importante?
A estrutura e funcionários especializados devem ser levados em conta na escolha de casas de repouso!

beija-flor

Um ambiente claro, limpo e com boa acessibilidade. Essas são as primeiras coisas que devem ser observadas pela família que procura por um bom abrigo para idosos. De acordo com o geriatra Clineu Almada Filho, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a presença de rampas em vez de escadas e corrimãos pela casa e jardins são muito importantes.

“A casa precisa oferecer ao idoso condições para circular, para que ele não se sinta obrigado a ficar sempre no mesmo lugar. Cuidados com pisos escorregadios também são importantes para garantir a segurança do idoso”.

A estrutura de funcionários especializados também deve ser levada em conta.

“As casas devem ter apoio médico com fisioterapeutas e terapia ocupacional, por exemplo. Uma equipe que se preocupe em fazer um trabalho de reabilitação do idoso”.

O especialista ressalta ainda a importância de atividades que sejam realizadas em ambientes diferenciados, com a possibilidade de o idoso tomar sol diariamente.

Anvisa determina que vacinação obrigatória seja oferecida pela instituição.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), uma resolução instituída em 2005 define normas de funcionamento para casas de repouso que recebem idosos. O descumprimento dessas regras pode implicar na interdição total do estabelecimento.

“As famílias devem verificar se a casa tem registro atualizado junto à Anvisa e se tem o alvará de funcionamento expedido pela vigilância sanitária”.

Além de corrimãos e pisos adequados, a casa deve ter alas separadas para homens e mulheres, janelas protegidas com grades ou redes e campainha de alarme próximo à cama do idoso, para que ele possa solicitar ajuda a qualquer hora do dia ou da noite.

Com relação a orientações médicas, a Anvisa determina que a vacinação obrigatória seja oferecida pela instituição.

“Todos os medicamentos de que o idoso necessita devem ser dados pelo responsável da instituição e qualquer procedimento precisa estar anotado em uma ficha para que a troca de turnos de funcionários não prejudique a saúde do idoso”

Além de cuidados com instalações, a convivência com outros idosos também pode ser estimulante na fase da vida em que o idoso costuma se sentir dependente. Por isso, escolha uma casa que ofereça um meio homogêneo, ou seja, com idosos que tenham condições físicas e mentais semelhantes. Isso evita conflitos e favorece o desenvolvimento da auto-estima.

O contato com os profissionais de saúde e visitas constantes da família também podem ser decisivos para a saúde do idoso.

“Toda instituição tem suas regras de horários, até para facilitar a organização da vida do idoso, mas é importante que a família se informe e esteja presente sempre que possível. Com a participação da família, o trabalho da instituição se torna mais fácil e mais agradável para o idoso”.

Como adaptar a casa

Quando o idoso começa a dar sinais de que não consegue desenvolver as atividades cotidianas com a mesma facilidade, é hora de adaptar os ambientes em que ele passa a maior parte do tempo em casa.

Melhorar a iluminação da residência e instalar barras de apoio nos banheiros e corrimãos em corredores e escadas é o primeiro passo importante. Para evitar eventuais quedas, é preciso abrir mão de tapetes e optar por pisos antiderrapantes.

“Caso não seja possível trocar o piso, faixas de aderência nos degraus de escadas e no próprio piso liso podem ajudar na segurança do idoso”.

Páginas:12»