Saiba como escolher uma casa de repouso para idosos!
Corrimão e piso antiderrapante são obrigatórios, segundo ANVISA?
Ambiente claro e limpo., e com boa acessibilidade também é importante?
A estrutura e funcionários especializados devem ser levados em conta na escolha de casas de repouso!

beija-flor

Um ambiente claro, limpo e com boa acessibilidade. Essas são as primeiras coisas que devem ser observadas pela família que procura por um bom abrigo para idosos. De acordo com o geriatra Clineu Almada Filho, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), a presença de rampas em vez de escadas e corrimãos pela casa e jardins são muito importantes.

“A casa precisa oferecer ao idoso condições para circular, para que ele não se sinta obrigado a ficar sempre no mesmo lugar. Cuidados com pisos escorregadios também são importantes para garantir a segurança do idoso”.

A estrutura de funcionários especializados também deve ser levada em conta.

“As casas devem ter apoio médico com fisioterapeutas e terapia ocupacional, por exemplo. Uma equipe que se preocupe em fazer um trabalho de reabilitação do idoso”.

O especialista ressalta ainda a importância de atividades que sejam realizadas em ambientes diferenciados, com a possibilidade de o idoso tomar sol diariamente.

Anvisa determina que vacinação obrigatória seja oferecida pela instituição.

De acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), uma resolução instituída em 2005 define normas de funcionamento para casas de repouso que recebem idosos. O descumprimento dessas regras pode implicar na interdição total do estabelecimento.

“As famílias devem verificar se a casa tem registro atualizado junto à Anvisa e se tem o alvará de funcionamento expedido pela vigilância sanitária”.

Além de corrimãos e pisos adequados, a casa deve ter alas separadas para homens e mulheres, janelas protegidas com grades ou redes e campainha de alarme próximo à cama do idoso, para que ele possa solicitar ajuda a qualquer hora do dia ou da noite.

Com relação a orientações médicas, a Anvisa determina que a vacinação obrigatória seja oferecida pela instituição.

“Todos os medicamentos de que o idoso necessita devem ser dados pelo responsável da instituição e qualquer procedimento precisa estar anotado em uma ficha para que a troca de turnos de funcionários não prejudique a saúde do idoso”

Além de cuidados com instalações, a convivência com outros idosos também pode ser estimulante na fase da vida em que o idoso costuma se sentir dependente. Por isso, escolha uma casa que ofereça um meio homogêneo, ou seja, com idosos que tenham condições físicas e mentais semelhantes. Isso evita conflitos e favorece o desenvolvimento da auto-estima.

O contato com os profissionais de saúde e visitas constantes da família também podem ser decisivos para a saúde do idoso.

“Toda instituição tem suas regras de horários, até para facilitar a organização da vida do idoso, mas é importante que a família se informe e esteja presente sempre que possível. Com a participação da família, o trabalho da instituição se torna mais fácil e mais agradável para o idoso”.

Como adaptar a casa

Quando o idoso começa a dar sinais de que não consegue desenvolver as atividades cotidianas com a mesma facilidade, é hora de adaptar os ambientes em que ele passa a maior parte do tempo em casa.

Melhorar a iluminação da residência e instalar barras de apoio nos banheiros e corrimãos em corredores e escadas é o primeiro passo importante. Para evitar eventuais quedas, é preciso abrir mão de tapetes e optar por pisos antiderrapantes.

“Caso não seja possível trocar o piso, faixas de aderência nos degraus de escadas e no próprio piso liso podem ajudar na segurança do idoso”.